terça-feira, 19 de janeiro de 2010

A PEQUENA DISTANCIA POÇOS - PARATY

A PEQUENA DISTANCIA

POÇOS - PARATY

A armação

Ainda na quarta feira, dia 16 de dezembro ainda não se sabia quem e quantos iriam para fatídica viajem para Trindade e Paraty RJ.

Ainda em uma festa de confraternização de fim de anos telefones começaram a tocar ininterruptamente com os últimos dos motociclistas moicanos que ainda se animavam a viajar mais de mil quilômetros, na chuva rumo estado do Rio de Janeiro.

Ânimos a flor da pele a discutição foi noite e dentro sem ares de chegar a uma conclusão, inda mais que quanto mais demorava a chegar o consenso mais a turma bebia e ficava menos conversável.

O acordo

Dia17 alem da ressaca, não havia nenhuma conclusão tomada, eu já ate desencantei com a viajem e já estava querendo correr pra outro rumo tipo BH ou Bahia, só de birra.

Final do dia a turma volta a se encontrar tentando recuperar o tempo “perdido” e de novo damos lucro pra TIM, OI, CLARO e seus concorrentes (creio ter gasto mais em telefone do que em gasolina), mas desta vez fechamos o evento partida dia 18 às 8 horas da manha, o que já começou mal, pois já eram mais que 2 da madrugada e estávamos novamente de fogo.

1º dia da viajem

Eu Tomaz (o famoso dorminhoco da turma) acordo as 7 da manha estou pronto as 7:30 na porta da casa do segundo Dr. Sergião. Resultado uma hora de espera.

Dr. Sergião pronto arrumado tralha amarrada na moto, adivinhem, ainda nada de estrada, vamos apertar corrente, apertar parafusos, abastecer etc...

Isso já me ganhou outra hora de espera, na próxima acordo as 10.

Finalmente tudo pronto, estrada...

Rumo à praia, nada... Rumo varginha onde o grande doutor tinha que pegar um documento o que iria só acrescentar 300 Km e 4 horas no roteiro, tudo bem, parceiro é parceiro FDP é FDP.

Primeira estrada Poços – Machado uma das piores de Minas Dr. Sergião passa plainando.

Em Taubaté encontramos com o outro parceiro o Torbal (GS500) e descemos a serra. Lógico que as condições meteorologias estavam perfeitas, chuvas e neblinas ótimas, deu pra molhar e secar umas 5 vezes de Taubaté a Ubatuba, na serra estava tão liso que se descesse da moto era escorregão e chão, tanto que um caminhão de bebidas estava atravessado na pista.

Chegamos a Trindade sem maiores problemas no começo da noite e fomos procurar uma pousada pra descansar a carcaça imunda antes de começar a capação, Dr. Sergiao não achava nenhuma pensão a altura eu me enchi e já parei no primeiro boteco enquanto o Dr. Sergiao quicava de pensão e pensão onde acabou escolhendo a primeira que era justamente do lado do boteco que eu escolhi.

Em Trindade a noite e bem animada apesar da falta de opção, só tem uns 2 bares com musica ao vivo, e só um que entra na madrugada.

2º dia da viajem

Sol, praia, cerva, camarão, mulher de biquíni, tudo de bom. Final da tarde, rumo Paraty. Pela viajem nas estradas mineiras minha moto deu uma bambeada, relação, miolo de escapamento, freios, lanterna queimada etc...

Mais uns 35 Km chegamos à cidade velha, interessante que la quase nenhum motociclista usa capacete, porem com o chão de pedras da cidade velha e quase impossível passar de 20 Km/h.

As pensões são muito arrumadas na cidade, mas os bares são muito característicos, todos pequenos e com o preço um tanto salgado. Procuramos um bar pra comer um tira gosto por algumas horas, Ao contrario de Trindade, tem muita variedade porem só identificamos o bar que teria o movimento noturno de madrugada quando todos os outros foram fechando.

3º dia de viajem

Malas prontas ressaca a flor da pele, um litro de suco de laranja pra dentro, rumo a Minas. Viajem tranqüila, estrada de Taubaté, Paraisopolis, Pouso Alegre, Poços e muito boa, paramos em Pouso Alegre pra tomar um café, pois começou a bater um sono, aproveitamos pra esconder de um toro de verão que caiu em meia hora, já ajudou pra esticar o corpo, passar uma água no rosto e diminuir o calor que tava de matar.

Chegando a Poços o jeito foi dar uma parada no Bar do Celso pra comemorar.

Resumo da historia, 1100 Km dos quais Dr. Sergiao passou 1000 Km na liderança apesar de estar com a menor moto, (tudo bem, o rapais estava precisando compensar alguma coisa), o Torbal deu um beijo na boca em uma das mocas mais mal acabadas que eu já vi na vida (o que o álcool não faz?), e eu como sempre tive que suporta essa turma, (a final por ser amigo a gente releva)

Meus amigos Dr. Sergiao e Torbal, teve bom, já vamos marcar a próxima, mas dessa vez, vamos passar longe de Machado pra ver se eu consigo chegar com a moto intacta.

Ate...

Nenhum comentário: